terça-feira, 26 de janeiro de 2016

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Caetano Veloso, Gilberto Gil, Ivete Sangalo - O Meu Amor







Tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca
Quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada, ai

O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos
Viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo
Ri do meu umbigo
E me crava os dentes, ai

Eu sou sua menina, viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz

Meu Amor
Tem um jeito manso que é só seu
De me deixar maluca
Quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba malfeita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita, ai

O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios
De me beijar os seios
Me beijar o ventre
E me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo
Como se o meu corpo fosse a sua casa, ai

Eu sou sua menina, viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

O que me faz sorrir?
Um simples sorriso no ar
Um olhar meigo a me olhar
Uma flor a desabrochar
As ondas do mar
O Sol a nascer
O Sol a se esconder
A Lua a aparecer
Uma noite de luar
O amor quando paira no ar
O que me faz sorrir?
O que me faz sorrir
É poder sentir
A vida a acontecer!

Maria Dias
2012

domingo, 17 de janeiro de 2016

QUANDO A GENTE AMA - OSWALDO MONTENEGRO 01.wmv







Quem vai dizer ao coração,
Que a paixão não é loucura
Mesmo que pareça 
Insano acreditar
Me apaixonei por um olhar
Por um gesto de ternura
Mesmo sem palavra
Alguma pra falar
Meu amor,a vida passa num instante
E um instante é muito pouco pra sonhar
Quando a gente ama,
Simplesmente ama
E é impossível explicar
Quando a gente ama
Simplesmente !

Link: http://www.vagalume.com.br/oswaldo-montenegro/quando-a-gente-ama.html#ixzz3xUelDc9f
Apaixonar-se é fácil, mas permanecer no amor... é um desafio!




Apesar de todos os obstáculos
E pedras no nosso caminho
Construimos o nosso ninho, 
Feito de lágrimas e sorrisos,
Superando as tristezas,
E vivendo felizes as alegrias,
Ficámos com algumas certezas:
A de saber tolerar,
A de saber perdoar,
A de saber respeitar,
Para lado a lado continuar…
E só assim podermos dizer
Que vale a pena
Partilhar uma vida
Assim vivida,
E juntos continuar a viver!



Maria Dias

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Oswaldo Montenegro - "Me ensina a escrever"





Meu amor
Me ensina a escrever
A folha em branco me assusta
Eu quero inventar dicionários
Palavras que possam tecer
A rede em que você descansa
E os sonhos que você tiver
Meu amor
Me ensina a fazer
Uma canção falando quanto custa
Trancar aqui dentro as palavras
Calando e querendo dizer
Não sei se o poema é bonito
Mas sei que preciso escrever
Meu amor
Me ensina a escrever
A folha em branco me assusta
Eu quero inventar dicionários
Palavras que possam tecer
A rede em que você descansa
E os sonhos que você tiver

Oswaldo Montenegro
Dizemos obrigado,a  maior parte das vezes, por educação, mas a palavra obrigado também poderá querer dizer gratidão.

A gratidão é o único tesouro dos humildes.


Se os homens tivessem dentro da alma a humildade e a gratidão, viveriam em perfeita paz.
Vicente Espinel



sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Do outro lado do espelho


Acabou. O espectáculo acabou. Ela regressa ao camarim e antes de se despir, senta-se em frente ao espelho.
A imagem que vê reflectida é a de uma boneca, boca em forma de coração, sardas, e tranças espetadas. Os olhos, esses ainda trazem um pouco da magia do palco. 
Mas pouco a pouco vão atraiçoando aquele rosto de boneca e acabam por não condizer com a expressão de marioneta. Começa por desfazer as tranças, desmaquilha-se e aqueles olhos finalmente começam a encaixar no rosto da nova personagem.
Pena que esta personagem seja a verdadeira, a do mundo real. Duas lágrimas deslizam pelo rosto meio desmaquilhado, um rosto ainda entre a marioneta e a personagem real. Ela queria continuar em palco a vida inteira, dar àquelas crianças o seu amor, vê-las sorrir e ficarem encantadas com aquele mundo de magia. Aquele mundo que, por momentos, a faz esquecer a sua solidão, a sua dor.
Mas a realidade está sempre do outro lado do espelho, uma realidade amarga, que já reflecte a imagem de uma mulher triste, com olhar vago e distante.
Ah como daria tudo para, quando se levantasse amanhã e olhasse de novo no espelho, visse apenas a imagem da boneca que a faz feliz, aquela imagem que faz vibrar os corações das crianças, porque em cada rosto de uma criança a sorrir, ela vê o sorriso da filha que perdeu.



Maria Dias

sábado, 2 de janeiro de 2016

O Desejo

Desabotoou-lhe a camisa
Ficaram ali…. Pele contra pele
Sentiram aquela suave brisa,
A cor clara dela contra o castanho dele
A macieza dela contra a aspereza dele …

Olharam-se, já não pensavam,
O tempo de pensar, viera e partira.
Não importava se se cansavam
O prazer até justificava tudo,
A tranquilidade apagava aquela ira.

O sonho dava lugar ao pensamento
A alegria dava lugar à tristeza,
Era hora de viver o momento,
Era hora de viver a certeza.

Deram-se um ao outro lentamente
Esquecendo todos os problemas,
Sentiram o silêncio, as penas,
O tempo parou  certamente!


Maria Dias.
As palavras já estão gastas
Os silêncios já nada significam
Com os abraços já te afastas
E os teus passos já me cansam

Os olhares já não se cruzam
Em busca daquela cumplicidade
As mãos já não se encontram
No meio da antiga felicidade

Onde está aquele amor eterno
Qual a razão desse desencontro
Porque é chegado o Inverno
Perguntam eles um ao outro

Será um amor acabado
Ou será um amor interrompido
Em nome dum passado
Eles sabem que “só está adormecido”





Maria Dias

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Que neste ano que agora começa, saibamos apreciar os pequenos detalhes da vida.....


É necessário abrir os olhos
E perceber as coisas boas
Que estão dentro de nós,
Onde os sentimentos
Não precisam de motivos,
Nem os desejos de razão,
O importante é aproveitar
O momento, e aprender
A sua duração,
Pois a vida está nos olhos
De quem a sabe ver
E a sentir no coração!

Maria Dias
2012